Porque as meias de compressão para corrida são diferentes?

Igualmente as bermudas de compressão, as meias  começaram a generalizar-se e, hoje em dia, numa prova longa, já são mais os corredores que as usam do que os que não as usam.

À primeira vista, parece uma tendência de moda desportiva, mas quando olhamos com mais atenção, podemos verificar que estas meias, que vão quase até os joelhos são bem mais de que isso.

Possuem zonas de diferente compressão, sendo mais forte sobre os gêmeos para aumentar o aporte de oxigênio aos músculos, acelerando a remoção de ácido láctico e estabilizando a musculatura de forma a aumentar a sua eficácia.

As meias de compressão para corrida propõem aliar as tecnologias empregadas no desenvolvimento das meias elásticas de compressão, aos esforços a que são submetidos os atletas em competições, isso juntamente com as estruturas de conforto das meias esportivas, trazendo assim benefícios na recuperação muscular.

Vejam os benefícios:

– massageamento dos músculos da tíbia e panturrilha;

– proporcionam redução sensível de dores e fadiga nas pernas no pós treino;

– conforto e prevenção de inchaços quando são expostos a viagens longas de avião ou via terrestre, devido a permanecerem horas sentados sem estimular a circulação através de movimentos;

– uma superior recuperação muscular entre os treinos intensos e frequentes, reagindo de forma mais eficiente entre o número de treinos e menores dores posteriores aos mesmos;

– maior sensação de firmeza e estabilização da panturrilha a partir da metade do percurso da prova;

– e na linguagem popular, relatam que “chegaram mais inteiros ao final dos longões” , fato que afeta os praticantes de provas combinadas;

Então qualquer tipo de meias de compressão servem para os esportes?

Não, não é bem assim.

Existem níveis de compressão mais severos, utilizado para atletas em tratamentos médicos para recuperação. Para os corredores que buscam os benefícios da compressão para melhorar desempenho na corrida, o nível de compressão deve-se situar em torno de 30mmHg, conforme pudemos verificar em marcas especializadas e de qualidade.

Antes de decidir pelo uso procure um médico. O uso incorreto ou sem necessidade pode ser arriscado, pois a meia pode aprisionar o sangue nas extremidades inferiores e aí o resultado é muito pior do que não usar qualquer meia de compressão.

Outro ponto são os preços: essas meias costumam ser um pouco caras, quando comparadas às outras. Mas o principal, sem dúvida, é a falta de consenso a respeito de sua eficácia.

Assim como acontece com o uso de tenis minimalista, o uso das meias de compressão também tem seus prós e contras. O principal motivo contrário ao uso seria o mecanismo de adaptação dos músculos com o uso delas.

Alguns profissionais acreditam que uma pessoa que usa as meias com certa frequência nos treinos e em provas, fará o músculo se acostumar com elas e, consequentemente, perder a capacidade de se adaptar às vibrações, oscilações, mudanças de terreno, etc, tornando-o mais suscetível às lesões quando for correr ou realizar qualquer outra atividade física sem elas. Isso realmente faz sentido.

Também é importante lembrar que a compressão deve ser realizada na perna inteira (desde o pé, seguindo pelo tornozelo e subindo pela perna), caso contrário a compressão não será efetiva.

Resumindo….

  • CANELITO – não serve como meia de compressão, aliás faz o efeito contrário – garroteando o sistema linfático, prejudicando a volta do sangue pelas veias.
  • COMPRESSÃO – tem que comprimir do pé a panturrilha, de forma decrescente. Só um médico pode indicar a melhor meia a ser usada e para quais fins.
  • QUANDO USAR – corridas de longa distância, após treinos intensos e corridas de longas distâncias. Ou com prescrição médica.
  • PERFORMANCE – em atletas de elite uma meia de compressão de altíssima qualidade pode significar a vitória.
  • TAMANHO – fuja dos tamanhos únicos. Experimente, não pode sobrar em cima nem embaixo, tem que ficar justinha, com mais pressão nos pés e menor na panturrilha. Ideal é investir em uma meia sob medida.
  • TECIDO – não pode ser de algodão, não pode ser de lycra, tem que ser de tecido leve, respirável e que não encharque. Se o pé esquentar durante a corrida, o corpo manda mais sangue para os pés para resfriar a região, o que é péssimo para quem está correndo longas distâncias.

Como colocar a meia de compressão 

As meias de compressão são difíceis de calçar, por conta do tipo de tecido. Para ajudar nesta atividade selecionamos o vídeo a seguir.

Bons treinos!!!!

Postagens Relacionadas

A importância da musculação para os corredores de rua Esse ano, após a Maratona de Foz do Iguaçu tive uma lesão no joelho, que me afastou dos treinos pós maratona. Treinos básicos e curtos passaram a ser ...