Elas correm, e correm bonito!

Apesar de todos os dias, ser seu dia, o Dia das Mães está chegando, mães corredoras ou não,  este dia é só seu!!!. Mas, as mães que correm… essas são especiais.

A maternidade é como uma corrida. Não é uma competição, mas é aquele treino puxado em que a gente cansa, cansa, mas tem muito prazer em fazer. A maternidade nos transforma, nos empodera e nos enche de vida, mas a maternidade para algumas, sempre vem cheia de dúvidas, inseguranças. Muitos são os textos de mães que falam sobre o lado cruel de ser mãe, quando aquelas horas que tínhamos para cuidar do cabelo, do corpo ou simplesmente não fazer nada, desaparecem como mágica. Uma coisa é fato, a atividade física, durante a gravidez, é fundamental. O benefício corporal e o bem estar, para a mãe e para o bebê, são inquestionáveis e visíveis.

Este post é totalmente dedicado às mães corredoras, pois são elas que abdicam dos treinos durante um período, mas a volta às corridas após a gravidez requer paciência e treinos leves.
E para aquelas que já corria e foi abençoada com uma gravidez no meio do percurso, o jeito é dar uma paradinha. Durante o período de gestação você até conseguiu se manter ativa, fez sessões de hidroginástica, yoga, caminhou, pedalou e até arriscou umas corridinhas, enquanto a barriga não incomodava. Depois de nove meses de espera, eis que o seu pequeno chega ao mundo e tudo mudou. Inclusive o seu corpo e as suas prioridades. Daí a voltar à rotina normal dos treinos é uma longa caminhada, literalmente.
“O condicionamento voltará aos poucos, por isso a mãe pode voltar de forma bem tranquila a correr”. Afinal, o corpo humano tem memória fisiológica e logo que a rotina estiver restabelecida a mulher tirará de letra o tripé maternidade, trabalho e corrida. Um exemplo disso é a corredora Nilza Morais corredora de montanha e mãe de 03 filhas (22 anos, 21 anos e uma bebê de 1 ano).

“Por ordens médicas , tive que só caminhar e praticar pilates durante a gestação e quando a “chuchuca” nasceu, não via a hora de voltar a correr. Infindáveis 40 dias e eu estava liberada pelo médico. Coloquei o tênis e sai correndo! Foi uma sensação de extrema alegria, sentir aquele vento no rosto e o pés te levando para onde você quiser, sentindo o frescor e o cheiro na natureza, isso me fascina!!! O recomeço é sempre difícil pois o corpo está pesado, mas com perseverança, e quando você gosta e deseja muito, tudo vale a pena.”

O tempo de retorno para a atividade física após o parto é muito relativo, pois cada mulher reage de uma forma à chegada do bebê. Para umas o processo de recuperação é mais lento, para outras mais rápido. De uma forma ou de outra, o destreinamento ocorre, afinal, durante a gestação, por mais que você tenha se mantido ativa, sua carga esportiva foi reduzida. Você deve ter treinado em frequências cardíacas mais baixas e de forma mais leve para preservar a sua saúde e a do bebê. Sem contar com uma série de mudanças que acontecem no corpo durante esses nove meses e que persistem por algum tempo após o parto. São os hormônios, alteração de peso, mudança do centro de gravidade e afrouxamento ligamentar, por exemplo.
Voltar a correr após a gestação, caso não seja uma atleta profissional, é como iniciar qualquer atividade física partindo do sedentarismo. O esforço deve ser gradativo e de evolução constante. Porém, para quem está amamentando o cuidado deve ser maior. Pois a incidência do ácido lático em maior quantidade no corpo pode alterar o sabor do leite e causar uma rejeição, por parte do bebê.
Além do cuidado com a amamentação, a mãe corredora deve se preocupar com a questão do afrouxamento gravídico, movimento do corpo de, como o nome diz, “afrouxar” as articulações, ou seja, deixá-las amolecidas para o preparo do canal de parto. Apesar de apenas essa região precisar se afrouxada, todas as articulações ficam mais maleáveis. Isso significa cuidado redobrado para evitar torções e tendinites durante a prática esportiva.

É fato que a maternidade vira nossa vida e que existem momentos de exaustão. De querer gritar por ajuda e por desanimar ao ver o corpo se transformar. De não ter tempo de tirar o esmalte ou de não conseguir paz no chuveiro. E que junto a isso ainda manter rotina de trabalho, de atividade física e de ter sua casa e família cuidados é quase impossível. Mas é quase!
Então, mulheres, o esporte traz disciplina e disposição e tenho certeza que esses benefícios contribuem para ser possível uma rotina de mãe participativa, profissional e ainda manter os exercícios físicos.

Para todas aquelas que se desdobram na função de mãe, atleta, profissional… Que amam, cuidam dos seus filhos e que também se amam e se cuidam e são verdadeiras guerreiras!
Feliz dia das Mães e ótimos treinos!!!