A corrida e a perda de peso

Nesta sociedade moderna e caótica que vivemos, todos querem resultados rápidos e duradouros. Seja na religião, no trabalho, no futebol, e na corrida não é diferente! Basta circular um pouco nas regiões habitadas pelo “ser corredor”, e verificar o aumento da frequência nos meses quentes, e após as festas de final de ano. Todos querem recuperar em dias, o que se demorou meses, e as vezes anos para ganhar em termos de acumulo de gordura, advindos do sedentarismo e do abuso alimentar.

Mas a pergunta é… em que momento a gente começa a perder peso? E conversando com alguns profissionais da área, a resposta é unanime! Perde quando usa a gordura corporal como combustível.

E um treino aeróbico, com variação de volume e intensidade, é a chave do negócio: isso porque faz o corpo recrutar as reservas de glicogênio e de gordura para a produção de energia, o cenário ideal para você emagrecer. Para que a perda seja eficiente você pode optar tanto pelos treinos mais longos e com menor intensidade como pelos mais curtos e mais fortes.

Só que aí tem um problema: a corrida, por mais gostosa que seja, provoca grande sobrecarga articular principalmente para os iniciantes e para os que estão acima do peso. Na ultima conversa que tive com meu ortopedista Dr. Fernando Cesar Silva (Clinica Ortopédica Ribeirão Preto), perguntei quais eram os pacientes, praticantes de corrida, que retornavam com maior frequência ao consultório e ele listou 2 grupos: 1) os que estão acima do peso; 2) os que querem superar seus limites.

Segundo o ortopedista, os corredores do primeiro grupo (especialmente as mulheres) querem resultado imediato e aliado a isso faz restrições alimentares extremamente severas e sai correndo. E principalmente para o iniciante, um treino de quarenta minutos já começa a pegar, assim como um treino mais curto e mais forte também pode causar problemas.

A sugestão dos educadores físicos, então, é apostar em um treino um pouco maior, alternando trote e caminhada rápida. Isso é bastante eficaz, acredite. Você ainda pode acrescentar uma caminhada nos dias de descanso.

Para quem torce o nariz para as caminhadas – tanto como forma de perder peso como para turbinar o treino de corrida – saiba que elas são indicadas até mesmo na preparação para maratonas. O programa de treinamento para maratonas desenvolvido por Jeff Galloway, ex-atleta olímpico dos Estados Unidos, por exemplo, tem como marca registrada intervalos de caminhada regulares e uma corrida/caminhada bem longa, atingindo o máximo de 41 a 46 km por semana. Ele garante, inclusive, que alguns de seus corredores quebraram a barreira das três horas correndo apenas três vezes por semana, resultado que não conseguiam quando corriam mais vezes.

Lembre-se, associado ao seu treino não esqueça de cuidar da alimentação com um profissional e resultados rápidos não existem. Alem disso, todo treino exige planejamento alimentar antes, durante e depois , e algumas vezes suplementação.

Otimos treinos!!!!!!!

Postagens Relacionadas

Sim, existe vida após a maratona A maratona é sem dúvida uma das competições desportivas mais exigentes em termos de desgaste muscular, fisiológico e mesmo psicológico, não só do atle...